Enquete

O que faltam no site? Faltam.... Obrigado pelo sua cooperação!






Resultados

Quem está online

Não usuários online
Hóspedes: 305

Publicidade

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
The next version of Ubuntu is coming soon

Publicidade

Vitória, Monumentos Históricos

 05.casa_antiga_intro_800_01A Ilha de Vitória inicialmente denominado Ilha de Santo Antônio, começou a ser povoada pelos colonos portugueses por volta de 1537, quando foi doada a Duarte Lemos pelo donatário Vasco Coutinho.

A data da fundação da Vila de Nossa Senhora da Vitória, em 1551, coincidiu com a do início da construção do conjunto arquitetônico formado pela Igreja de São Tiago e pelo Colégio dos Jesuítas, hoje Palácio Anchieta.

Pode-se dizer que a cidade expandiu-se em torno dessa construção, de acordo com a topografia da Ilha e a conveniência de seus habitantes.

Em seu processo de crescimento, novas edificações foram ocupando as encostas e, com os primeiros aterros, tomando as áreas de mangue.

a


a
a

Última atualização (Qui, 18 de Fevereiro de 2010 18:56)

Avaliação do Usuário: / 37
PiorMelhor 
Foto: Vitor Nogueira

No local onde hoje se encontra a Igreja de São Gonçalo, já havia, em 1707, uma capela que foi construída pela Irmandade de Nossa Senhora do Amparo e da Boa Morte, uma irmandade de homens pardos. Passados oito anos, as irmandades solicitaram permissão para construírem no local da capela uma igreja dedicada a São Gonçalo Garcia. Em 2 de novembro 1766 com a presença do Visitador Diocesano, padre Antônio Pereira Carneiro, e do vigário da vila de Vitória, Antônio Xavier, a igreja foi consagrada ao santo português.

Na segunda metade do século XIX a Irmandade de Nossa Senhora da Boa Morte e Assunção recebe o título de Confraria. Ela foi elevada a esta categoria em virtude de Provisões do Bispo Diocesano, Conde de Irajá. Posteriormente, a Confraria de Nossa Senhora da Boa Morte Assunção torna-se uma Arquiconfraria, sendo a única a receber esse título em Vitória. Por quase duas décadas a Igreja de São Gonçalo foi sede paroquial, Matriz e Catedral de Vitória. Isso se deu pelos fatos de a Igreja de São Tiago ter sido desapropriada e a Igreja de Nossa Senhora da Vitória, que era a Matriz e Catedral, ter sido destruída com o intuito de se erguer uma nova e maior Catedral e assim, portanto, os ofícios religiosos foram transferidos para a Igreja de São Gonçalo.

Leia mais: Igreja de São Gonçalo é bem tombado desde 1948

 
 

Última atualização (Qui, 18 de Fevereiro de 2010 18:57)

Avaliação do Usuário: / 23
PiorMelhor 

Foto: Elizabeth NaderA construção da Igreja de Nossa Senhora do Rosário foi iniciada em 1765. A estrutura principal foi concluída em dois anos, com a mão de obra escrava negra. O terreno foi doado à Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos.

A igreja é afastada do núcleo original da povoação de Vitória e seu acesso principal se dá por uma extensa escadaria voltada para o mar. As festas dedicadas a Nossa Senhora do Rosário despertavam interesse na capitania, mas para os negros da irmandade a devoção mariana não era única. Eles prestavam culto também a São Benedito, com quem se identificavam.

No início do século XIX ocorreu o roubo da imagem de São Benedito do Convento de São Francisco. Proibiu-se a saída, em procissão, da imagem, que foi levada para a Igreja do Rosário pelos membros da irmandade e devotos do santo. Esse fato deu início aos famosos conflitos entre Peroás (os irmãos da Igreja do Rosário) e Caramurus (os irmãos do Convento).

Tombada como patrimônio histórico, a Igreja mantém as características originais da fachada colonial e o frontão barroco, além do cemitério em seus corredores. Ao lado foi construída a "Casa de Leilão", que tinha o nobre exercício de arrecadar verbas para comprar a alforria de escravos.

Leia mais: Nossa Senhora do Rosário mantém características originais

 
 

Última atualização (Qui, 18 de Fevereiro de 2010 18:57)

Avaliação do Usuário: / 11
PiorMelhor 

Foto: Fernanda Neves GomesO Convento São Francisco foi construído no final do século XVI pelos padres franciscanos, Frei Antônio dos Mártires e Antônio das Chagas, a pedido do 2º Donatário da Capitania do Espírito Santo, Vasco Fernandes Coutinho Filho. Possuía além da igreja, dedicada a São Francisco, as dependências necessárias ao monastério e a Capela da Ordem Terceira da Penitência.

A esse conjunto foi acrescentado posteriormente um cemitério municipal, que funcionou de 1856 a 1908. Próximo ao local, uma capela sob a invocação de Nossa Senhora das Neves, passou a ser necrotério. A capela, em arquitetura colonial, ainda hoje permanece nos espaços do convento.

O convento abrigou diversas irmandades, dentre elas a Irmandade de São Benedito, que se reunia na Capela da Venerável Ordem Terceira e movimentava a cidade com suas festas e procissões. Com o tempo, o convento foi ficando ocioso e as autoridades civis passaram a requisitá-lo para diversas finalidades, funcionando como local para escola e enfermaria para atender às vitimas das constantes epidemias que atacavam a cidade na metade do século XIX.

Leia mais: São Francisco foi primeiro convento franciscano da Região Sudeste

 
 

Última atualização (Qui, 18 de Fevereiro de 2010 18:58)

viaduto_caramuru_270O Viaduto Caramuru foi construído em 1925 com o objetivo de ligar as ruas Dom Fernando e Francisco Araújo e servir de passagem para o bonde, que então circulava em direção à Cidade Alta. O bonde, entretanto, nunca chegou a atravessar o viaduto, ou porque temiam que ele não agüentasse o peso ou porque o bonde não era capaz de fazer a curva que ligava as ruas ao viaduto.

Logo abaixo se encontra a Rua Caramuru, local histórico, onde teria ocorrido uma batalha contra holandeses que tentavam invadir a ilha em 1640, pois naquela época a ladeira levava ao Porto dos Padres, utilizado pelos freis do Convento de São Francisco.

O nome do viaduto, e da rua sob ele, foi dado em homenagem aos Caramurus, membros da Irmandade de São Benedito do Convento de São Francisco, que foi extinta no início do século XX. O nome surgiu a partir de conflitos com os irmãos de outra irmandade do mesmo santo, situada na Igreja do Rosário, que receberam o nome de Peroás.

Leia mais: Viaduto Caramuru foi construído para a passagem do bonde

 
 

Última atualização (Qui, 18 de Fevereiro de 2010 18:59)

Foto: Paula BarretoA Escadaria Maria Ortiz, antes chamada de Ladeira do Pelourinho, traz em seu nome a lembrança da vitória dos capixabas sobre piratas holandeses, que tentaram conquistar a ilha durante o século XVII. Alvo de piratas e de corsários desde a descoberta do Brasil, a cidade de Vitória tem um histórico de vitórias sobre piratas famosos. Um desses invasores foi o corsário holandês Piet Pietersz Heyn, que aportou em 12 de março de 1625 e, juntamente com seus subordinados, atacou a vila na tentativa de conquistá-la. Entretanto, os invasores foram vencidos pela imprevista iniciativa da capixaba Maria Ortiz.

 A jovem se destacou incentivar os vizinhos a arremessar água fervente, brasa, pedras, entre outros objetos sobre os holandeses que subiam pela então Ladeira do Pelourinho. Os invasores buscavam alcançar o coração de Vitória, a Cidade Alta, e dali o domínio da ilha. Seguindo o exemplo de Maria Ortiz, povo capixaba conseguiu espantar os holandeses, que retornaram ao seu navio atracado onde atualmente se encontra a Praça Oito de Setembro e voltaram.

Leia mais: Escadaria Maria Ortiz lembra resistência à invasão de piratas

 
 

Última atualização (Qui, 18 de Fevereiro de 2010 19:00)

Avaliação do Usuário: / 7
PiorMelhor 

Foto: Kadidja FernandesA Escadaria de São Diogo foi construída ao lado de um antigo forte de proteção de Vitória, o Forte São Diogo, que tinha a posição estratégica de monitorar o acesso à cidade alta. A fortificação defendia o braço de mar que entrava pela Baía de Vitória em direção a Praça Costa Pereira e seguia dividido à Fonte Grande e ao Convento do Carmo. Com a falta de espaço para expansão da capital, que até então possuía inúmeras fortificações, foi necessário o aterro de parte do canal de Vitória e com isso o forte perdeu sua utilidade, sendo removido ainda no século XIX. 

O local da escadaria era chamado de Ladeira da Pedra, assim como continua sendo chamada sua parte superior, por não ter na época calçamento algum e uma precária escada esculpida diretamente na pedra bruta. Em 1942, foi construída uma nova escadaria e com seu estilo eclético mostrou maior imponência em relação ao desenho anterior característico do passado colonial. Apesar da escadaria se manter discreta na paisagem da cidade, ainda preserva a importante função de ligar a cidade baixa, a partir da Praça Costa Pereira, à cidade alta, próximo à Catedral Metropolitana.

 

Fonte: Prefeitura de Vitória

 
 

Última atualização (Qui, 18 de Fevereiro de 2010 19:00)

História

O Palácio Anchieta é uma das sedes de governo mais antigas do Brasil. A edificação sede do Governo do Estado do Espírito Santo foi construída para funcionar como colégio Jesuíta.O ano de 1551 é o marco de fixação da Companhia de Jesus no Espírito Santo. Padre Afonso Brás e o irmão Simão Gonçalves fundaram o Colégio de São Diogo, que, na época, era uma pequena construção coberta de palha. Com a chegada de padre José de Anchieta a cidade, a construção recebeu uma base mais sólida, e um anexo, no qual funcionava a igreja de São Tiago, foi edificado. Anchieta foi um dos personagens mais significativos da ordem jesuíta no Brasil, e ficou conhecido pelo trabalho com os nativos da região Sudeste. O túmulo simbólico do religioso se encontra sob o local onde era o altar-mor da antiga igreja.Até 1760, o Palácio Anchieta abrigou o Colégio de São Diogo que ensinava a ler, a escrever, além de Filosofia e Teologia. O Colégio também era a sede administrativa e a sede das missões dos jesuítas no Espírito Santo. Já a igreja de São Tiago servia espiritualmente à sociedade.

 
 

Última atualização (Qui, 18 de Fevereiro de 2010 19:01)

 

HistóriaO Convento de Nossa Senhora do Monte do Carmo foi fundado em 1682 por padres carmelitas. O conjunto era formado pelo convento propriamente dito, pela Igreja de Nossa Senhora do Monte do Carmo e pela Capela da Ordem Terceira. Todos possuíam estilo colonial, com linhas barrocas.Dois séculos depois, o Convento do Carmo se encontrava em decadência. Devido a uma proibição dos noviciados religiosos de formação de padres, o Convento ficou completamente abandonado, em 1872. O edifício foi então assumido pelo governo, sendo utilizado em várias funções, inclusive a de quartel militar.

Apenas quatorze anos depois, após a criação do Bispado do Espírito Santo, o governo devolveu o Convento para a administração da Igreja Católica. O primeiro bispo do Estado, dom João Batista Correa Nery, ocupou o prédio com o Ateneu Diocesano, colégio que foi transferido para o Convento da Penha, e o Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, que perdurou até a década de 1970.

 
 

Última atualização (Qui, 18 de Fevereiro de 2010 19:01)

História

Palácio Domingos Martins

Antiga sede do Poder Legislativo Estadual a obra em estilo eclético foi construído em 1606 e remodelado e reinaugurado em 1912. Com a mudança da Assembléia Legislativa para a Enseada do Suá no início do ano 2000 o Palácio foi reformado para abrigar a Casa do Cidadão. Como chegar: Praça João Clímaco ao lado do Palácio Anchieta

Cidade Alta - Centro. Não está aberto a visitação.

Como chegar: Praça João Clímaco, ao lado do Palácio Anchieta, Cidade Alta - Centro.

Não está aberto à visitação.

 
 

Última atualização (Qui, 18 de Fevereiro de 2010 19:01)

História

A Catedral Metropolitana de Vitória começou a ser construída em 1920 e, com grande demora, foi concluída, na década de 1970. O projeto inicial era de Paulo Motta (o mesmo que projetou o Parque Moscoso) e foi se modificando com o passar dos anos, tendo recebido colaboração de vários artistas e arquitetos. Ela ocupou o lugar onde, até 1918, havia uma igreja conhecida como a antiga Igreja Matriz de Nossa Senhora da Vitória. Era uma igreja colonial, que foi edificada por volta de 1550, quando Vitória ainda se chamava Vila Nova, no período do primeiro donatário da capitania do Espírito Santo, Vasco Fernandes Coutinho.

Com a criação da Diocese do Espírito Santo e a nomeação do primeiro Bispo dom João Batista Correia Nery, a igreja recebeu o título de Catedral, mesmo sendo considerada pequena e antiga demais para comportar o número de fiéis, que crescia. Assim, foi demolida com o intuito de ser substituída por uma igreja maior, de acordo com o desejo de modernizar a capital do Estado.

 
 

Última atualização (Qui, 18 de Fevereiro de 2010 19:01)

CulturaComo monumento e símbolo dessa época, o Teatro Carlos Gomes foi iniciado em 1925 e inaugurado oficialmente sob a presidência do referido Florentino Avidos às vésperas de Reis de 1927.Já antes da sua abertura oficial abrigara o Congresso de Geografia, em 1926, sob a presidência de Cândido Mariano da Silva Rondon. O novo teatro vinha preencher a lacuna deixada pelo antigo teatro Melpômene (1896), demolido após um incêndio. Colunas de ferro desse edifício foram reutilizadas no novo teatro. O projeto, do italiano de nascença Andre Carloni, é considerado como sendo inspirado no Scala.

Esse elo, porém, não é imediatamente percebido pelos observadores que conhecem o teatro de Milão, não apenas pelas suas muito menores dimensões como também pela ornamentação mais profusa do seu exterior. Na realidade, o teatro se insere, de forma altamente conservadora para a sua época, na tradição de grandes casas de ópera de estilo historicista e eclético representativas de sociedades urbanas em ascenção e que, desde meados do século XIX foram levantados em várias cidades da Europa e do Brasil.

 
 

Última atualização (Qui, 18 de Fevereiro de 2010 19:02)

Cultura

O prédio do antigo Teatro Glória destaca-se na paisagem do centro de Vitória. Edificado em concreto armado e revestimento em pó de pedra, o prédio foi projetado pelo arquiteto alemão Ricardo Wright e apresenta elementos da arquitetura eclética, com o uso de sacadas e balaústres, e o tradicional coroamento, no teto da estrutura, com cúpula na esquina. É a primeira construção com cinco andares da cidade, iniciada em 1926. Adquirido pelo Serviço Social do Comércio (Sesc), o prédio está em reforma para a instalação do Centro Cultural Sesc Gloria. Iniciada em 2009, essa reforma prevê novas ambientações internas e reestruturação do espaço, que terá sete andares e as seguintes instalações: teatro; cybercafé;

 
 

Última atualização (Qui, 18 de Fevereiro de 2010 19:02)

Cultura

Funcionando em prédio histórico, representativo do período de urbanização de Vitória no início do século XX, a Escola de Teatro e Dança Fafi está localizada na Avenida Jerônimo Monteiro, no Centro de Vitória. O prédio foi projetado pelo arquiteto tcheco Josef Piteik em estilo eclético, construído no Governo de Florentino Avidos (1924-1928) e inaugurado em 1926, durante o Oitavo Congresso Brasileiro de Geografia. Serviu de cenário para as mais diferentes atividades. O Grupo Escolar Gomes Cardim iniciou essa saga; a Escola Activa foi criada em 1928 e, no ano seguinte, passou a existir o Curso Superior de Cultura Pedagógica. A Revolução de 30 e a ditadura de Getúlio Vargas puseram fim à escola. A partir dessa data, variaram ainda mais as funções do imóvel. Ginásio Espírito Santense (1930); espaço para exibição mensal obrigatória de filmes nacionais (1934); e Colégio Estadual do Espirito Santo (1943).

 
 

Última atualização (Qui, 18 de Fevereiro de 2010 19:02)

Cultura

No contexto da crise de sucessão de 1580 foi mandado erguer pelo corregedor dos Açores, Ciprião de Figueiredo e Vasconcelos, de 1581 a 1583, conforme referido por Francisco Ferreira Drumond nos "Anais da Ilha Terceira".No início do século XIX, danificado pelo tempo e pelas intempéries, foi restaurado de 1818 a 1820 pelo general Araújo.Na batalha de 11 de Agosto de 1829, estava guarnecido por quatro artilheiros de costa, um artilheiro de linha, três soldados do Batalhão de Caçadores nº 5 e seis soldados de infantaria, sob o comando do artilheiro voluntário José Paulo Machado, natural da vila da Praia. Tendo montada apenas uma peça, foi um dos que mais teria causado danos aos navios da esquadra de D. Miguel I de Portugal (Francisco Ferreira Drumond. Anaes da Terceira, tomo

 
 

Última atualização (Qui, 18 de Fevereiro de 2010 19:03)

Lazer no parque

O Parque Pedra da Cebola possui exemplares de Mata de Restinga e de Mata Atlântica e vegetação rupestre nativa do local, que abrigam pequenos répteis e aves. Dotado de área superior a 100 mil metros quadrados, o parque também conta com jardim oriental e um mirante, com vista para a Praia de Camburi, parte do Maciço Central, o Porto de Tubarão e o Morro do Mestre Álvaro, localizado em Serra.O parque foi implantado em novembro de 1997, num local onde, até 1978, existiu a Pedreira de Goiabeiras, de propriedade da Companhia Vale do Rio Doce (CVRD). Trata-se da primeira recuperação de área degradada por esse tipo de atividade econômica no município. No ambiente da antiga jazida, uma área plana serve para eventos de pequeno e médio porte e para a prática de atividades esportivas.

O nome do parque deriva de uma grande pedra esculpida pela natureza que repousa sobre outra rocha. Devido a seu comportamento geológico, a pedra se "descama" de maneira similar as palhas de uma cebola.

 
 

Última atualização (Qui, 18 de Fevereiro de 2010 19:03)

CiênciaBiologia e História - ECBHEscola da Ciência Biologia e História é um museu de ciência que destaca a cultura regional através de uma exposição centrada em temáticas capixabas. Foi criada pela Lei Municipal n.º 5.397/2001 e i nauAntigo navio redondo, tanto na forma do casco quanto no velame, de grande tamanho, com acastelamentos na proa e na popa que até o século XVIII tinha apenas um mastro.gurada em 13 de novembro de 2001. É administrada pela Prefeitura Municipal de Vitória através da Secretaria de Educação. A ECBHEscola da Ciência Biologia e História oferece aos seus visitantes um panorama do espaço natural ocupado pelo homem no município de Vitória e no estado do Espírito Santo. O acervo abrange espécies vivas em aquários, animais taxidermizadosEmpalhados., fotografias e espécimes da floraRelativo a vegetais..

 
 

Última atualização (Qui, 18 de Fevereiro de 2010 19:03)

CulturaInformações Antiga residência do Barão de Monjardim, erguida no final do século XVIII, é considerado um dos melhores e mais bem conservados exemplares da arquitetura rural da Região Sudeste, além de ser a principal construção histórica fora do Centro da cidade. O solar Monjardim, em Jucutuquara, é sede do Museu de mesmo nome, o mais importante do Estado, pertencente à Universidade Federal do Espírito Santo. É, provavelmente, a mais antiga construção rural particular do período colonial capixaba. Foi edificada como sede da fazenda Jucutuquara e era, inicialmente, de propriedade dos padres da Companhia de Jesus. Com a expulsão destes, foi adquirida pelo comerciante Gonçalo Pereira Pinto. A fazenda ia do morro da Capixaba à Ponta de Tubarão, e produzia farinha de mandioca e, posteriormente, café.

 
 

Última atualização (Qui, 18 de Fevereiro de 2010 19:04)

CiênciaCom capacidade para 80 pessoas, o Planetário apresenta diferentes sessões de simulação do espaço celeste, com duração aproximada de 40 minutos.Sessão Sazonal (como o céu se apresenta em cada estação do ano) sempre às sextas-feiras às 19 horas; Sessão Infantil aos sábados às 17 horas; e Sessões Temáticas como O Céu de 1500 em Portugal e no Brasil, Vida e Morte das Estrelas, aos sábados às 18h30. Atividades  Em conjunto com o Observatório Astronômico da universidade, o Planetário de Vitória desenvolve um intenso programa de atividades educativas, com cursos, oficinas, palestras e exposições. O atendimento para as escolas é feito com pré-agendamento para grupos de até 80 pessoas.

 
 

Última atualização (Qui, 18 de Fevereiro de 2010 19:04)

CiênciaA escola está localizada no Parque Moscoso, no Centro da cidade. Lá, o visitante vai encontrar 43 instrumentos científicos que desmistificam a tão complicada Física,por meio de estratégias lúdicas e interativas. Após conhecer os instrumentos, na certa o visitante vai entender alguns princípios como inércia, transformações de energia, propagação do som, gravitação, formação de imagens, entre outros. No auditório da unidade, o visitante, através de slides, vai conhecer um pouco da história de Vitória e do prédio que abriga a escola. Tombado pelo Patrimônio Histórico Estadual e restaurado pela Prefeitura de Vitória, a própria construção é da década de 50 e registra um pouco dessa história.

 
 

Última atualização (Qui, 18 de Fevereiro de 2010 19:04)

Culturareforma e ampliação. O Museu Capixaba do Negro (Mucane), que era do governo estadual, foi transferido para a Prefeitura de Vitória em 2007. Repleto de problemas em sua estrutura (como infiltrações e rachaduras, e deficiências nos sistemas elétrico e hidráulico), passará, enfim, por reforma e ampliação. Os recursos, provenientes do governo federal (através do Ministério do Turismo) e da própria prefeitura, estão na ordem de R$ 1,5 milhão. A instituição, que funciona próximo ao Parque Moscoso, ganhará sala de exposições e de oficinas culturais em seu pátio interno, atualmente desativado. O prédio do Museu do Negro é um dos remanescentes da arquitetura de estilo eclética que dominou as construções de início do século XX, marcando a passagem da cidade colonial para a “modernidade”. A edificação foi “construída pelo coronel Francisco Schwab, com mourões de estacas de camará, em 1912, ano em que foi aberta a avenida República”,

 
 

Publicidade